O Complexo de Èdipo, você já desejou seu pai ou sua mãe.


*Bem, antes de começar a falar do assunto, gostaria de deixar claro que não sou nenhum psicólogo, muito menos faço alguma faculdade a área, portanto, as informações descritas abaixo podem não estar nas suas formas mais completas. No entanto, eu fiz uma intensa pesquisa e considero as informações seguras.

Você pode não imaginar, mas você já desejou seu pai (no caso das garotas) ou sua mãe (no caso dos meninos) na sua infância. Mais que isso, você teve uma reação emocional e sexual pela pessoa que lhe criou.

Quem foi Èdipo.

Édipo é um personagem de um conto grego. Famoso por matar o pai e casar-se com a própria mãe. Filho de Laio e de Jocasta, pai de Etéocles, Ismênia, Antígona e de Polinice. Na história, Laio rei de Tebas, recebe uma mensagem do Oráculo dos Elfos lhe avisando que seu filho o mataria e casaria com a própria mãe. Com medo de tal acontecimento, Tebas abandono-o ainda pequeno pregando um prego em cada pé seu para mata-lo. Por sorte ou azar, um pastou achou e cuidou do garoto. Anos mais tarde, ele reencontra a mãe, e sem saber que ela era sua genitora, casa-se com ela. Quando esta descobre que havia casado com o próprio filho, suicida-se, e ele Èdipo, fura os dois olhos por ter estado cego e não ter reconhecido a própria mãe.

O Complexo de Èdipo.

O conceito do Complexo de Èdipo foi descrito por Sigmund Freud e tornado um Complexo por Carl Jung. Recebeu esse nome devido a semelhança com a história de Èdipo contada acima.
O complexo inicia quando a criança tem entre 3 e 5 anos, quando essa se da conta das diferenças de sexuais no mundo em que vive. Nessa faze, começa a ter desejos libidinosos (sexuais) pelas pessoas do ambiente familiar, isso tudo, também estando muito relacionado a necessidade da criança em obter proteção e amor total.
Nesse período, o Complexo de Èdipo pode vir a ser na forma Positiva - é a mais comum - ou Negativa.
Na forma positiva, o rival é o genitor do mesmo sexo e a criança deseja uma união com o genitor do sexo oposto.
Em sua forma negativa, o rival é o genitor do sexo oposto, enquanto que o genitor do mesmo sexo é o objeto de amor.
Trocando em miúdos, o que acontece normalmente, é que a criança se apaixonado pela pessoa do sexo oposto ao seu no seu ambiente familiar, e sim, a deseja para si, como um porto seguro, como um refúgio seguro de amor e carinho. Ao mesmo tempo ela começa a rejeitar o pessoa de mesmo sexo e deseja se livrar dela.
No caso do menino, a fase só terminado quando ele, com medo de ser castrado pelo pai, desiste da mãe. Na menina, tudo termina quando ela começa a desejar um bebê, o que seria suposta mente dado de presente a ela pelo pai.
Depois disso, a criança entra em estado de latência e seu desejo sexual fica adormecido até a adolescência. Època em que os meninos e meninas brigam constantemente.
Segundo Freud, essa seria uma regra universal, portanto, aconteceria com todos os seres humanos, independente da sua origem. Além disso, algo que guia os pais e as crianças durante todo o processo é a proibição do incesto (relações entre pais e filhos) por quase todas as culturas. O que também seria responsável - como um dos fatores fundamentais - por reger o heterosexualismo na sociedade em que vivemos.
Um das causas do Complexo de Èdipo seria o carinho entre os pais e o filho quando ainda bebê. São os constantes toques e afagos trocados entre os pais e as crianças, mais que isso, o contanto do bebê com o seio da mãe, com o calor da mãe e do pai, o que faz com que a crianças descobra seus libídios.
Outra coisa interessante, é que muitos estudiosos acreditam que o Complexo de Èdipo possa estar ligado intimamente com a escolha sexual da pessoa. Ou seja, se o complexo aconteceu de forma positiva ou negativa na infância.
Por fim, isso tudo também estaria ligado ao fato irracional dos homens procurarem mulheres parecidas com suas mães para se relacionar - e as mulheres procurarem homens parecidos com seus pais.

Fontes:
Wikipedia
Cola da Web
Sedes.Org
Unip
Geocities
Rede Psi
Cobra.Pages.Nom.br
*E meu dicionário.

3 comentários:

  Du

8:48 PM

Oi!!!
Eu não lembro de ter vivido nenhum complexo (desse tipo pelo menos) mas faz sentido...faz sim!
Ótimo texto.
Beijos

  Anônimo

12:09 PM

Complexo de Édipo é só o menino desejar a mãe, no caso do desejo pelo pai está caracterizado pelo complexo de Electra!!!
OK!!

  Didgio

7:06 PM

Sim, conheço o complexo de Electra, a versão feminina do de Èdipo.
Mais muitos tratam os dois unidos no complexo de Èdipo, para não confundir as coisas e não me perder demais no texto, coloquei genéricamente.

Post"s Relacionados




Recomendamos