Pronto acabou a discussão, cientistas dizem ter comprovado existência do ponto G


Pois é, conseguiram provar, o ponto G parece que realmente existe... Será?


Cientistas italianos afirmam ter realizado, pela primeira vez, ultra-sonografias que comprovam a existência do ponto G - uma área que, quando estimulada, pode proporcionar às mulheres orgasmos intensos.(BBC)


Essa semana saiu um artigo na New Scientist em que o ginecologista Emmanuele Jannini afirma te encontrado novas evidencias que provam o ponto G. Até agora ninguem tinha consegui comprovar que o local realmente existia, agora, novos exames tem posto fim a discussão entre o "Existe" e o "Não existe".


Segundo o ginecologista, os exames inéditos revelaram claras diferenças anatômicas entre mulheres que disseram ter atingido orgasmo vaginal e outras que não vivenciaram a experiência. Este tipo de orgasmo é atingido pelo estímulo da parede vaginal, sem a fricção simultânea do clitóris.


Através de exames de ultra-som, 20 mulheres mulheres foram analizadas e observou uma diferença no espessamento do tecido uretrovaginal das mulheres que tiveram orgasmos
associados ao ponto G.
O resultado final seria um descoberta impressionante, "mulheres sem qualquer sinal visível do espessamento desta área (que se convencionou chamar de ponto G) não são capazes de ter orgasmo vaginal”. A ginecologista afirma que um simples teste pode verificar a existencia ou nao do ponto G.

O assunto é polêmico, alguns médicos ainda querem mais provas.

“O estudo é intrigante, mas não significa necessariamente que mulheres que não têm orgasmo não têm o ponto G”, diz Beverly Whipple, da Universidade de Rutger, de Nova Jersey - que, junto com uma equipe de médicos, cunhou o termo ponto G em 1981.


Como sempre, vamos esperar por futuros estudos sobre o assunto.

0 comentários:

Post"s Relacionados




Recomendamos