Proteínas graváveis, é a biotecnologia chegando!


Faz algum tempo que que os ciêntistas começaram a unir a tecnologia com a biologia. Tirando proveito do melhor de cada uma delas, acabou-se dando origem a uma outrao ciência a biotecnologia.

Biotecnologia é "a aplicação dos princípios científicos e da Engenharia ao processamento de materiais, através de agentes biológicos, para prover bens e assegurar serviços.(Ort)"


Bem, o que importa, é que cada vez mais pesquisadores estão usando elementos naturais, muitas vezes vivos, para fins eletrônicos, como é o caso de biossensores.
Agora, entrando na informática, alguns pesquisadores japoneses estão fazendo testes com proteínas, usando-as para armazenar informações.

A equipe do Dr. Tetsuro Majima utilizou uma proteína fluorescente para gravar um padrão específico de informações sobre uma lâmina de vidro. Utilizando uma combinação inovadora de luz e compostos químicos, os pesquisadores demonstraram que é possível ler e apagar os dados gravados pelas proteínas.(Inovação Tecnológica)


O interessante é que é um sistema totalmente funcional, faz todas as operações necessárias, para realmente armazenar alguma informação. Se não estou enganado, não é a primeira vez que se usa algo biológico como forma de guardar informação.
A que tudo indica, não passa de um estudo laboratorial, mas as possibilidades são promissoras. O estudo foi baseado no nosso próprio cérebro, que acredita-se, guarda nossas informações em proteínas.

Se você chegou a rir da idéia daquele filme em que o Jim Carry tira da cabeça o único neurônio responsável pelas lembranças das ex-namorada, pode mudar de idéia agora. Eles não estavam tão longe da verdade.
Quem sabe, no futuro usar umas plaquinhas quadradas de algum material transparente para transportar dados? Tudo bem, antes que alguém diga alguma coisa, acho que o futuro nos reserva algo bem mais inimaginável que isso.

A conclusão que eu chego? Acho que preciso de mais proteínas, do jeito que ando esquecido.

0 comentários:

Post"s Relacionados




Recomendamos