Douglas, Adams

Dois anos depois disso ter acontecido, a manhã estava doce e calma quando Arthur
saiu da caverna que chamava de "casa" até conseguir encontrar um nome melhor para aquilo
ou então encontrar uma caverna melhor.
Sua garganta estava novamente irritada devido a seu grito matinal de horror, mas
ainda assim ele estava de ótimo humor. Enrolou firmemente seu roupão esfarrapado ao
redor do corpo e sorriu, feliz, olhando aquela linda manhã.
O ar estava claro e cheio de aromas suaves, a brisa acariciava levemente a grama
alta que cercava a caverna, os pássaros gorjeavam uns para os outros, as borboletas
borboleteavam lindamente ao seu redor e toda a natureza parecia conspirar para ser tão
gentil e agradável quanto possível.
Não eram, contudo, aquelas delícias bucólicas que haviam deixado Arthur tão feliz.
Ele acabara de ter uma ótima idéia sobre como lidar com o terrível e solitário isolamento, os
pesadelos, o fracasso de todas as suas tentativas de horticultura e a completa ausência de
futuro e a futilidade de sua vida ali, na Terra pré-histórica. Tinha decidido enlouquecer.
Sorriu de novo, feliz, e mordeu um pedaço de perna de coelho que havia sobrado de
seu jantar. Mastigou alegremente durante algum tempo e então resolveu anunciar
formalmente sua decisão.
Ficou de pé, endireitou o corpo e olhou de frente para os campos e montanhas. Para
dar mais peso às suas palavras, enfiou o osso de coelho na barba. Abriu bem os braços e
disse:
― Vou ficar louco!

(O guia do mochiliero das galáxias - A vida o universo e tudo mais - Douglas Adams)

O cara é um gênio.

2 comentários:

  Willingmax

11:33 AM

Fala Didgio. Cara tava lendo esse livro. Realmente o cara é um gênio, achei graça quando ele alegava ser o verdadeiro "DNA" (Douglas Noel Adams).

Abraços.

  Didgio

12:39 PM

huahua o cara gosta de ridicularizar a humanidade.


Abraços

Post"s Relacionados




Recomendamos