O efeito Belousov-Zhabotinsky

Reações químicas são curiosas - e perigosas em alguns casos-, coisas que parecem impossíveis acontecem. É o caso da Reação Belousov-Zhabotinsky. Tão estranha quanto o nome. Veja o vídeo e depois falamos sobre ela:



O que é demonstrado no video, é basicamente o funcionamento de um espécie de tubina líquida, junto ao efeito Belousov-Zhabotinsky.

História:

O descobrimento do fenômeno é creditado a Boris Belousov, quem se deu conta na década de 50 (os dados mudam dependendo da fonte mas contidos num intervalo de 1951 a 1958), que em uma mescla de bromato de potássio, sulfato de cério (IV), ácido malónico e ácido cítrico, a concentração dos íons Ce(IV) e Ce(III) oscilava, notando-se isto mediante a oscilação de cor da reação de uma cor amarelo a incolor. Isto é devido a que os íons de Ce (IV) são reduzidos pelo ácido malónico a Ce(III), que são oxidados de novo a Ce(IV) pelos íons de bromo (V).

Belousov fez duas tentativas de publicar sua descoberta, mas foi rejeitado ao não ser capaz de explicar seus resultados de forma que satisfizessem os editores das revistas nas que o apresentou. Seu trabalho foi publicado finalmente em uma revista menos respetável.[1]

Mais tarde, em 1961, um estudante chamado A. M. Zhabotinsky redescobriu a sequencia desta reação[2], ainda que os resultados de seu trabalho não tenham sido amplamente disseminados, e ele não era conhecido até uma conferência em Praga em 1968.(Wikipedia)


O que o texto técnico tenta explicar, é que a mistura tem uma característica peculiar, ela oscila entre um estado em outro, um verdadeiro "relógio químico", como fala um artigo do site Inovação Tecnológica:

O fenômeno é chamado de "relógio químico", tecnicamente conhecido como reação Belousov-Zhabotinsky. Na verdade trata-se de uma série de reações encadeadas que envolvem feedback, o que significa que os materiais na seqüência de reações influenciam sua própria taxa de formação.

Esses sistemas oscilam ao longo do tempo, e as oscilações podem se manifestar na forma de padrões espaciais.


O truque para mexer o objeto magnético no fundo do recipiente é a mudança de potencial eletrostático entre uma reação e outra.

UPDATE: Como comentou o amigo Carlos, a segunda parte do vídeo segue logo abaixo. E o turbilhão é uma reação física e não química. A mudança de cor é a principal evidencia do efeito Belousov-Zhabotinsky. De qualquer forma, a mudança de potencial eletrostático realmente existe.

5 comentários:

  Carlos Hotta

7:14 AM

Oi, acho que vc cometeu um erro. Até onde eu vi, a reação de Belousov-Zhabotinsky é uma reação oscilatória, que pode ser observeada pela mudança periódica na cor da reação.

O turbilhão observado é causada pela barrinha magnética ao fundo do frasco de vidro. O frasco de vidro fica em uma placa agitadora que induz um campo magnético giratório e causa a barrinha girar.

O segredo do turbilhão, portanto, é físico e não químico. A reação de Belousov-Zhabotinsky só dá para ser notada no final do vídeo...

  Carlos Hotta

7:16 AM

Inclusive o efeito é melhor notado na continuação do vídeo:

http://www.youtube.com/watch?v=5zM66qSrwoQ&feature=related

  Didgio

9:18 AM

Humm,

É realmente, eu tomei o movimento da barra como conseguencia da reação, pelo visto não é bem isso!

Obrigado!

  Carlos Hotta

10:05 AM

Didgio, coloca a continuação do vídeo tb que é bastante legal!

  Didgio

3:38 PM

Você é um amante da ciência não é ^^.

Já coloquei o video!

Post"s Relacionados




Recomendamos