Os dubladores acham que sou retardado.


Uma coisa que eu acho abominável é a maneira como alguns nomes de filmes estrangeiros são massacrados ao serem traduzidos para o português. É ridículo, é imperdoável.
Quando chamam o povo brasileiro de burro todo mundo chia, mais a coisa parece começar lá em cima. Mastigam, transformam em papinha os mais suculentos nomes do cinema. Convertem para coisas mais fáceis.
No humor a coisa reina. Todo mundo que traduz e registra nomes de filmes parece viciado em um dicionário imaginário, limitado, que contem termos jovens da década passada. "Turma do barulho", "Um garoto da pesada", "Confusões na casa da vovó". Tudo bem, tentaram incluir termos novos. "Zona" ficou famoso. Repare.
É serio, o produtor, o roteirista, o cara do enredo, todos eles pensam com tanto carinho em um nome cheio de significados, aqui ele é embecilmente transformado em uma palavra qualquer amplamente conhecida pelo público.

Está achando besteira, vamos começar com os exemplos. Quando eu me tornei mais chato, mais crítico, a minha primeira providencia foi reparar nesses detalhes e sentir raiva - Para posteriormente me transformar em formador de opinião.
Uma prova inesquecível foi o filme "BUG", uma história interessante de uma homem que tinha problemas mentais e imaginava ter sofrido experiências médicas e ao longo do filme sofrer ataques por insetos (Inseto=Bug). Quando chegou aqui o "Bug" virou "Possuidos". Deus do céu, o cara não é possuído nem uma vez se quer. Mais claro, possuidos é um nome forte, um nome bom. A galera vai correr para o cinema esperando um bom filme de horor.
Quando "Crash", um dos mais belos filmes criados, veio ao Brasil, não se contentaram com o nome, era curto, não dizia nada, o povo não entenderia. Anexaram um "No limite". Agora sim, todos entendem. Maldita mania de pensar pelos outros.
Lendo um pouco por ai, se descobre várias bizarrices, o site Gardenal ilustras outros.

Por exemplo, "Ben-Hur" teria virado "O Carroceiro Infernal" e "Psicose" seria "Ele É a Mãe". Tudo balela. "Psicose" é "Psicose" e "Ben-Hur" é "Ben-Hur". A única tradução imperdoável deles que tenho conhecimento é transformar "Arquivo-X" em "Ficheiros Secretos". Mas outro dia discuto o nível intelectual dos portugueses.


Depois quando alguem fala que gosta de assistir filmes legendados acham frescura. Não curto ficar lendo, perde um pouco a ação, mas faz diferença.
O famoso "Máfia no Divã" tinha o nome origal de "Analise Isso". Quem iria entender? Vamos trocar. Exploda-se o duplo sentido, o povo quer ação! Emoção!
O que acontece é que o pessoal acaba comentendo as maiores gafes, o filme "My Girl" virou "Meu Primeiro Amor". Conseqüentemente "My Girl 2" virou "Meu Primeiro Amor 2", claro. Os professores de português devem ser amarrados antes do inicio de cada sessão para não terem ataques.
As vezes não é nada. Outras é tudo. Um nome é algo especial, um nome pode dar sentido a toda história. Um nome, outras vezes, é tudo, a história o resto.

E para terminar tem os redundantes "Storm - Tempestade furiosa", poxa, storm já é tempestade. Pra quem vão inventar.

Não vou nem falar das dublagens.

Reparem e pensem a respeito, concordando ou não.

4 comentários:

  Anônimo

9:03 PM

Por isso q eu odeio filme dublado ou lançado no Brasil com traduções porcas. Baixo direto da internet, assim tenho o filme original e a legenda .. só !

  Levato

1:12 AM

EU realmente ODEIO as redundância!
BIG FISH - PEIXE GRANDE
entre outros q não lembro agora de tanta raiva!
Sem contar os que adicionam algo, tipo: FORREST GUMP, O CONTADOR DE HISTÓRIAS.
Arggggghhhhh

Enfim,

Belo post!

  Dangelo

6:42 PM

Como você citou, as traduções das legendas também são bastante modificadas.Quem gosta de estudar inglês com filmes as vezes sente algumas dúvidas.

  Didgio

12:41 PM

Tem coisa que dói no coração!

Post"s Relacionados




Recomendamos